terça-feira, 9 de novembro de 2010

O que é?
O transtorno afetivo bipolar era denominado até bem pouco tempo de psicose maníaco-depressiva. Esse nome foi abandonado principalmente porque este transtorno não apresenta necessariamente sintomas psicóticos, na verdade, na maioria das vezes esses sintomas não aparecem. Os transtornos afetivos não estão com sua classificação terminada. Provavelmente nos próximos anos surgirão novos subtipos de transtornos afetivos, melhorando a precisão dos diagnósticos. Por enquanto basta-nos compreender o que vem a ser o transtorno bipolar. Com a mudança de nome esse transtorno deixou de ser considerado uma perturbação psicótica para ser considerado uma perturbação afetiva.
A alternância de estados depressivos com maníacos é a tônica dessa patologia. Muitas vezes o diagnóstico correto só será feito depois de muitos anos. Uma pessoa que tenha uma fase depressiva, receba o diagnóstico de depressão e dez anos depois apresente um episódio maníaco tem na verdade o transtorno bipolar, mas até que a mania surgisse não era possível conhecer diagnóstico verdadeiro. O termo mania é popularmente entendido como tendência a fazer várias vezes a mesma coisa. Mania em psiquiatria significa um estado exaltado de humor que será descrito mais detalhadamente adiante.
A depressão do transtorno bipolar é igual a depressão recorrente que só se apresenta como depressão, mas uma pessoa deprimida do transtorno bipolar não recebe o mesmo tratamento do paciente bipolar.

Características
O início desse transtorno geralmente se dá em torno dos 20 a 30 anos de idade, mas pode começar mesmo após os 70 anos. O início pode ser tanto pela fase depressiva como pela fase maníaca, iniciando gradualmente ao longo de semanas, meses ou abruptamente em poucos dias, já com sintomas psicóticos o que muitas vezes confunde com síndromes psicóticas. Além dos quadros depressivos e maníacos, há também os quadros mistos (sintomas depressivos simultâneos aos maníacos) o que muitas vezes confunde os médicos retardando o diagnóstico da fase em atividade.

Tipos
Aceita-se a divisão do transtorno afetivo bipolar em dois tipos: o tipo I e o tipo II. O tipo I é a forma clássica em que o paciente apresenta os episódios de mania alternados com os depressivos. As fases maníacas não precisam necessariamente ser seguidas por fases depressivas, nem as depressivas por maníacas. Na prática observa-se muito mais uma tendência dos pacientes a fazerem várias crises de um tipo e poucas do outro, há pacientes bipolares que nunca fizeram fases depressivas e há deprimidos que só tiveram uma fase maníaca enquanto as depressivas foram numerosas. O tipo II caracteriza-se por não apresentar episódios de mania, mas de hipomania com depressão.
Outros tipos foram propostos por Akiskal, mas não ganharam ampla aceitação pela comunidade psiquiátrica. Akiskal enumerou seis tipos de distúrbios bipolares.

Fase maníaca
Tipicamente leva uma a duas semanas para começar e quando não tratado pode durar meses. O estado de humor está elevado podendo isso significar uma alegria contagiante ou uma irritação agressiva. Junto a essa elevação encontram-se alguns outros sintomas como elevação da auto-estima, sentimentos de grandiosidade podendo chegar a manifestação delirante de grandeza considerando-se uma pessoa especial, dotada de poderes e capacidades únicas como telepáticas por exemplo. Aumento da atividade motora apresentando grande vigor físico e apesar disso com uma diminuição da necessidade de sono. O paciente apresenta uma forte pressão para falar ininterruptamente, as idéias correm rapidamente a ponto de não concluir o que começou e ficar sempre emendando uma idéia não concluída em outra sucessivamente: a isto denominamos fuga-de-idéias.. O paciente apresenta uma elevação da percepção de estímulos externos levando-o a distrair-se constantemente com pequenos ou insignificantes acontecimentos alheios à conversa em andamento. Aumento do interesse e da atividade sexual. Perda da consciência a respeito de sua própria condição patológica, tornando-se uma pessoa socialmente inconveniente ou insuportável. Envolvimento em atividades potencialmente perigosas sem manifestar preocupação com isso. Podem surgir sintomas psicóticos típicos da esquizofrenia o que não significa uma mudança de diagnóstico, mas mostra um quadro mais grave quando isso acontece.

Fase depressiva
É de certa forma o oposto da fase maníaca, o humor está depressivo, a auto-estima em baixa com sentimentos de inferioridade, a capacidade física esta comprometida, pois a sensação de cansaço é constante. As idéias fluem com lentidão e dificuldade, a atenção é difícil de ser mantida e o interesse pelas coisas em geral é perdido bem como o prazer na realização daquilo que antes era agradável. Nessa fase o sono também está diminuído, mas ao contrário da fase maníaca, não é um sono que satisfaça ou descanse, uma vez que o paciente acorda indisposto. Quando não tratada a fase maníaca pode durar meses também.

Exemplo de como um paciente se sente
...Ele se sente bem, realmente bem..., na verdade quase invencível. Ele se sente como não tendo limites para suas capacidades e energia. Poderia até passar dias sem dormir. Ele está cheio de idéias, planos, conquistas e se sentiria muito frustrado se a incapacidade dos outros não o deixasse ir além. Ele mal consegue acabar de expressar uma idéia e já está falando de outra numa lista interminável de novos assuntos. Em alguns momentos ele se aborrece para valer, não se intimida com qualquer forma de cerceamento ou ameaça, não reconhece qualquer forma de autoridade ou posição superior a sua. Com a mesma rapidez com que se zanga, esquece o ocorrido negativo como se nunca tivesse acontecido nada. As coisas que antes não o interessava mais lhe causam agora prazer; mesmo as pessoas com quem não tinha bom relacionamento são para ele amistosas e bondosas.

Sintomas (maníacos):
Sentimento de estar no topo do mundo com um alegria e bem estar inabaláveis, nem mesmo más notícias, tragédias ou acontecimentos horríveis diretamente ligados ao paciente podem abalar o estado de humor. Nessa fase o paciente literalmente ri da própria desgraça.
Sentimento de grandeza, o indivíduo imagina que é especial ou possui habilidades especiais, é capaz de considerar-se um escolhido por Deus, uma celebridade, um líder político. Inicialmente quando os sintomas ainda não se aprofundaram o paciente sente-se como se fosse ou pudesse ser uma grande personalidade; com o aprofundamento do quadro esta idéia torna-se uma convicção delirante.
Sente-se invencível, acham que nada poderá detê-las.
Hiperatividade, os pacientes nessa fase não conseguem ficar parados, sentados por mais do que alguns minutos ou relaxar.
O senso de perigo fica comprometido, e envolve-se em atividade que apresentam tanto risco para integridade física como patrimonial.
O comportamento sexual fica excessivamente desinibido e mesmo promíscuo tendo numerosos parceiros num curto espaço de tempo.
Os pensamentos correm de forma incontrolável para o próprio paciente, para quem olha de fora a grande confusão de idéias na verdade constitui-se na interrupção de temas antes de terem sido completados para iniciar outro que por sua vez também não é terminado e assim sucessivamente numa fuga de idéias.
A maneira de falar geralmente se dá em tom de voz elevado, cantar é um gesto freqüente nesses pacientes.
A necessidade de sono nessa fase é menor, com poucas horas o paciente se restabelece e fica durante todo o dia e quase toda a noite em hiperatividade.
Mesmo estando alegre, explosões de raiva podem acontecer, geralmente provocadas por algum motivo externo, mas da mesma forma como aparece se desfaz.
A fase depressiva
Na fase depressiva ocorre o posto da fase maníaca, o paciente fica com sentimentos irrealistas de tristeza, desespero e auto-estima baixa. Não se interessa pelo que costumava gostar ou ter prazer, cansa-se à-toa, tem pouca energia para suas atividades habituais, também tem dificuldade para dormir, sente falta do sono e tende a permanecer na cama por várias horas. O começo do dia (a manhã) costuma ser a pior parte do dia para os deprimidos porque eles sabem que terão um longo dia pela frente. Apresenta dificuldade em concentra-se no que faz e os pensamentos ficam inibidos, lentificados, faltam idéias ou demoram a ser compreendidas e assimiladas. Da mesma forma a memória também fica prejudicada. Os pensamentos costumam ser negativos, sempre em torno de morte ou doença. O apetite fica inibido e pode ter perda significativa de peso.

Generalidades
Entre uma fase e outra a pessoa pode ser normal, tendo uma vida como outra pessoa qualquer; outras pessoas podem apresentar leves sintomas entre as fases, não alcançando uma recuperação plena. Há também os pacientes, uma minoria, que não se recuperam, tornando-se incapazes de levar uma vida normal e independente.
A denominação Transtorno Afetivo Bipolar é adequada? Até certo ponto sim, mas o nome supõe que os pacientes tenham duas fases, mas nem sempre isso é observado. Há pacientes que só apresentam fases de mania, de exaltação do humor, e mesmo assim são diagnosticados como bipolares. O termo mania popularmente falando não se aplica a esse transtorno. Mania tecnicamente falando em psiquiatria significa apenas exaltação do humor, estado patológico de alegria e exaltação injustificada.
O transtorno de personalidade, especialmente o borderline pode em alguns momentos se confundir com o transtorno afetivo bipolar. Essa diferenciação é essencial porque a conduta com esses transtornos é bastante diferente.

Qual a causa da doença?
A causa propriamente dita é desconhecida, mas há fatores que influenciam ou que precipitem seu surgimento como parentes que apresentem esse problema, traumas, incidentes ou acontecimentos fortes como mudanças, troca de emprego, fim de casamento, morte de pessoa querida.
Em aproximadamente 80 a 90% dos casos os pacientes apresentam algum parente na família com transtorno bipolar.

Como se trata?
O lítio é a medicação de primeira escolha, mas não é necessariamente a melhor para todos os casos. Freqüentemente é necessário acrescentar os anticonvulsivantes como o tegretol, o trileptal, o depakene, o depakote, o topamax.
Nas fases mais intensas de mania pode se usar de forma temporária os antipsicóticos. Quando há sintomas psicóticos é quase obrigatório o uso de antipsicóticos. Nas depressões resistentes pode-se usar com muita cautela antidepressivos. Há pesquisadores que condenam o uso de antidepressivo para qualquer circunstância nos pacientes bipolares em fase depressiva, por causa do risco da chamada "virada maníaca", que consiste na passagem da depressão diretamente para a exaltação num curto espaço de tempo.
O tratamento com lítio ou algum anticonvulsivante deve ser definitivo, ou seja, está recomendado o uso permanente dessas medicações mesmo quando o paciente está completamente saudável, mesmo depois de anos sem ter problemas. Esta indicação se baseia no fato de que tanto o lítio como os anticonvulsivantes podem prevenir uma fase maníaca poupando assim o paciente de maiores problemas. Infelizmente o uso contínuo não garante ao paciente que ele não terá recaídas, apenas diminui as chances disso acontecer.
Pacientes hipertensos sem boa resposta ao tratamento de primeira linha podem ainda contar com o verapamil, uma medicação muito usada na cardiologia para controle da hipertensão arterial que apresenta efeito anti-maníaco. A grande desvantagem do verapamil é ser incompatível com o uso simultâneo do lítio, além da hipotensão que induz nos pacientes normotensos



Ref. Bibliograf:
Liv 01Liv 19Liv 03Liv 17Liv 13 Psychiatry Research 2001; 103: 229-235
Age of Onset of Bipolar II Derpessive Mixed State
Franco Benazzi


08/11/2010 - Joel Leite é entrevistado pela CBN- Foz

30/10/2010 - Joel Leite fala sobre dependência química aos alunos de psicologia

19/10/2010 - Técnicas contra depressão são apresentadas para alunos de psicologia

12/10/2010 - Joel Leite está nos jornais
Cadastre-se e receba nosso informativo.

Nome: Email:


DVD - Pais e Filhos - O papel de cada um.
Autor: Joel Leite da Silva Andrade
R$35,00 (+ frete)



CD - Vencendo a Ansiedade
Autor: Joel Leite da Silva Andrade
R$15,00 (+ frete)



DVD: Sexualidade na Adolescência
Autor: Joel Leite da Silva Andrade
R$25,00 (+ frete)

Ignorância e Manipuilação
Autor: Joel Leite da Silva Andrade
R$29,00 (+ frete)



Prevenir um Ato de Amor
Autor: Joel Leite da Silva Andrade
R$20,00 (+ frete)



AC

MISSAO COMPRIDA, ALELUIA

ESSA TURMA TODA FEZ ACONTECER, FOI BENÇÃO O TRABALHO

SARA, ANA CLAUDIA E IVONE
TRABALHO SOCIAL NA ALDEIS DA SERRA

terça-feira, 5 de outubro de 2010


MARAVILHOSO, EVENTO FEMININO, ESTUDAMOS A VIDA DE RUTE.

OLHA SÓ AS AMIGUINHAS,

"A mais selvagem de todas as enfermidades é desprezar o nosso ser" MONTAIGNE: ESTUDO DE EFÉSIOS, ESCRITO PELO PR ARIOVALDO RAMOS...

"A mais selvagem de todas as enfermidades é desprezar o nosso ser" MONTAIGNE:

ESTUDO DE EFÉSIOS, ESCRITO PELO PR ARIOVALDO RAMOS...: "ESTUDO DE EFÉSIOS, ESCRITO PELO PR ARIOVALDO RAMOS, É UMA BENÇAO, NÃO DEIXE E LER. ESTUDO SOBRE INSTITUIÇÃO CASAMENTO, ESCRITO PELO PSICOLOG..."
ESTUDO DE EFÉSIOS, ESCRITO PELO PR ARIOVALDO RAMOS, É UMA BENÇAO, NÃO DEIXE E LER.
ESTUDO SOBRE INSTITUIÇÃO CASAMENTO, ESCRITO PELO PSICOLOGO JOEL LEITE. INTERESSANTE, MUITO BOM PARA REFLETIMOS PARA ONDE ESTAMOS CAMINHANDO.
ESTUDO DE EFÉSIOS!
Capítulo 1
Nada como saber


1 Paulo, apóstolo de Cristo Jesus pela vontade de Deus, aos santos que estão em Éfeso, e fiéis em Cristo Jesus:


Nada como saber quem é. Nada como saber com quem fala. Jesus revela a identidade estabelecida por Deus.


Apóstolo é missionário. Santo é gente com dedicação exclusiva. Fiel é quem vive pelo que acredita.


Nada como saber que a gente o é não pelo que faz, mas pelo lugar em que está. Estar em Jesus, o Ungido para nos salvar, é ser tornado gente com dedicação exclusiva a Deus, e gente que tem o que crê, o que fazer, e que não se enxerga mais de outra forma.


2 Graça a vós, e paz da parte de Deus nosso Pai, e do Senhor Jesus Cristo.


Nada como saber o que Deus tem para nós: favor que a gente não merece e paz que a gente sabe, mas não compreende.


Nada como saber que Jesus, o Ungido, onde estamos, manda em tudo e tudo pode.


3 Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, o qual nos abençoou com todas as bênçãos espirituais nas regiões celestes em Cristo;


Nada como saber que tudo o que a gente precisa, para ter identidade plena, nos foi dado em Jesus, não porque a gente fez por merecer, mas porque a gente foi posto no lugar certo, ou melhor, na pessoa certa.


É como relacionamento: a gente não ama o perfeito, ama o que invadiu o nosso coração, todo relacionamento é afetivo, mesmo quando não parece, tratamos todos a partir do lugar que ele ocupa em nosso coração, mesmo o absolutamente estranho, pois, ainda que como conceito, ele ocupa um lugar em nossa afeição: respeitar é ter afeição, ainda que mínima, pelo com quem nos relacionamos, ainda que seja pelo que a pessoa significa.


Nada como saber que estamos no lugar da afeição plena de Jesus. Isto é que faz toda a diferença em nós, e que nos faz totalmente diferentes.
Essa foi o favor que Deus, o Pai de Jesus Cristo, em quem estamos e de quem somos. Falemos bem de Deus, como os serafins que Isaías viu e descreveu no capítulo 6 de seu livro.

4 como também nos elegeu nele antes da fundação do mundo, para sermos santos e irrepreensíveis diante dele em amor;

Nada como saber que quem está ou estará no Cristo, já estava antes! E já estava para ser! E foi colocado no Cristo para ter identidade. Para ser reconhecido, por ele, como gente totalmente dedicada a ele, e, em quem, ele não teria o que censurar, por causa da forma como amaria. Caímos, nos perdemos, mas não fomos perdidos.

Ser gente totalmente dedicada a ele é ser gente que ama como ele ama, sem considerar a presença, ou a ausência de mérito na pessoa amada, e, mais, onde amor é afeição, de tal monta, que, necessariamente, inclui o sacrifício pelo ser amado.

5 e nos predestinou para sermos filhos de adoção por Jesus Cristo, para si mesmo, segundo o beneplácito de sua vontade,


Nada como saber que estávamos para vir a ser, e para um relacionamento familiar. Deus nos quis como filhos, antes que o quiséssemos como Pai. E somos filhos de quem sempre quis ser nosso Pai.


6 para o louvor da glória da sua graça, a qual nos deu gratuitamente no Amado;


Nada como saber que Deus nos vê como o prémio que o seu favor a nós conquistou para ele. Favor que nos foi trazido, independentemente de nossos méritos, por aquele que agora amamos.


7 em quem temos a redenção pelo seu sangue, a redenção dos nossos delitos, segundo as riquezas da sua graça,


Nada como saber que todas as possibilidades do favor do Pai, foram manifestas na redenção que o Cristo nos proporcionou. Tudo o que a gente é e fez de errado, demonstrava que Deus havia perdido a gente, mas o favor, que Deus nos fez, à custa do ato do Ungido, foi o de nos adquirir de novo para ele.


Nada como saber que o Cristo é a encarnação do favor do Pai.


8 que ele fez abundar para conosco em toda a sabedoria e prudência,


Nada como saber que todos os movimentos do Cristo, todo o seu percurso para chegar e para fazer o que veio para fazer, principalmente, no que tange a forma como o Ungido veio: como homem humilde, faz parte de um plano executado com a sabedoria que sabe o melhor momento para cada ação, e a ação para cada momento.


Nada como saber que Deus respeitou o arbítrio sem perder o propósito.


9 fazendo-nos conhecer o mistério da sua vontade, segundo o seu beneplácito, que nele propôs


Nada como saber o que Deus quer, e que, Deus, o quer por prazer! Deus age por um prazer que quis ter.


10 para a dispensação da plenitude dos tempos, de fazer convergir em Cristo todas as coisas, tanto as que estão nos céus como as que estão na terra,


Nada como saber que o prazer do Pai, é, no seu devido tempo, fazer com tudo o que exista tenha o Ungido como seu centro, e propósito, e senhor.


11 nele, digo, no qual também fomos feitos herança, havendo sido predestinados conforme o propósito daquele que faz todas as coisas segundo o conselho da sua vontade,


Nada como saber, que estar no Cristo é ser o que o Pai vai receber por direito, e que fomos, antes de sermos, antes de existirmos, destinados para ser a herança que o Pai receberia, e que isso era o propósito do Pai, e que, para isso, o Pai nos pôs no Cristo, antes de tudo, e que assim é porque o Pai decidiu que assim seria. Antes de tudo o Pai decidiu que seríamos dele: os que estão e os que estarão no Cristo, no Ungido.


12 com o fim de sermos para o louvor da sua glória, nós, os que antes havíamos esperado em Cristo;


Os judeus foram os primeiros, como etnia, a receber esse conhecimento, e entender a sua identidade e propósito.


13 no qual também vós, tendo ouvido a palavra da verdade, o evangelho da vossa salvação, e tendo nele também crido, fostes selados com o Espírito Santo da promessa,


Os não judeus, à medida que ouvem as boas notícias da salvação, e crêem, recebem a mesma consciência de sua identidade e propósito, e o que o demonstra é o fato de receberem o mesmo derramamento, que os judeus, como etnia, receberam no Pentecostes, o batismo do Espírito Santo.


14 o qual é o penhor da nossa herança, para redenção da possessão de Deus, para o louvor da sua glória.


Nada como saber, que a presença do Espírito Santo em nós é a certeza de que, também, estávamos no Cristo desde antes da fundação do mundo, e que receberemos a mesma herança prometida aos judeus, e a herança que receberemos é o privilégio de ser parte da herança que o Pai receberá, como prémio por sua bondade




Isso é comunidade!


15 Por isso também eu, tendo ouvido falar da fé que entre vós há no Senhor Jesus e do vosso amor para com todos os santos,


Bom ter uma fé, em Jesus, que dá o que falar: fé que acredita que ele resolveu tudo o que tinha de ser resolvido com o Pai. Assim, não há bruxas a caçar, não há culpados para punir, tudo está resolvido, então, é correr para o abraço, qualquer débito com Deus já está pago, agora é a mutualidade em ajudar que cada um chegue à estatura do Filho.


Fé que acredita que Jesus está no controle do Universo, sustentando tudo (Hb 1.3), daí não há maldição que atrapalhe.


Bom ter um amor mútuo que dá o que falar: onde a comunhão impera, isso começa por só falar o bem, um do outro, e cresce até um estar pronto para sacrificar-se pelo outro. É fruto dessa fé: tudo está resolvido com Deus, logo, tudo está resolvido entre nós, somos unidade de novo, e, como tal, devemos viver.


Isso é comunidade!


16 não cesso de dar graças por vós, lembrando-me de vós nas minhas orações,


Bom ser uma comunidade por quem só há o que agradecer. Uma comunidade que entendeu o que é ser Igreja.


Isso é comunidade!


17 para que o Deus de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai da glória, vos dê o espírito de sabedoria e de revelação no pleno conhecimento dele;


Bom ser uma comunidade a quem o Pai dá espírito de sabedoria, não é o surgimento de muitos sábios, é uma comunidade de sabedoria, por ser uma comunidade cujo relacionamento a torna em condições de compreender melhor como Deus, a Trindade, vive.


E a comunidade vai aprendendo com a Trindade, por revelação, como se vive em comunidade.


Isso é comunidade!


18 sendo iluminados os olhos do vosso coração, para que saibais qual seja a esperança da sua vocação, e quais as riquezas da glória da sua herança nos santos,


Bom saber para onde estamos caminhando como comunidade, e que é em comunidade que caminhamos, que caminhamos para ser tudo o que Deus queria que fossemos como unidade humana, como humanidade, e como isso é extremamente rico.


Bom, que isso é fruto de expansão da afeição, não é saber mais, por saber, é saber mais para gostar mais e para incluir mais o outro.


É a construção da nova identidade, a identidade que define uma pessoa e uma comunidade como cristã.


Uma identidade onde a ética é estética, isto é, o que leva alguém ou, a comunidade, a fazer ou não, seja o que for, é se é amável ou não. E o ser humano é sempre amável.


Isso é comunidade!


19 e qual a suprema grandeza do seu poder para conosco, os que cremos, segundo a operação da força do seu poder,


Bom saber quão grande é o poder que ele pôs à nossa disposição; por crermos em Jesus, e para saber isso, basta ver como esse poder agiu...


20 que operou em Cristo, ressuscitando-o dentre os mortos e fazendo-o sentar-se à sua direita nos céus,


Boa ação desse poder: ressuscitou ao Cristo!


Bom que esse poder colocou no poder aquele que sabe o que é sacrifício, pois, foi ao Cristo que deu autoridade sobre tudo e todos: estar assentado à direita, não é estar num espaço geográfico, é ter recebido autoridade sobre tudo: a Trindade governa por meio do Cristo.


Bom! Só quem sabe o que é esvaziar-se deve ocupar o poder.


Que comunidade... Essa! Sobre quem atua o poder que ressuscita o desprezado, e empodera o que se sacrifica!


21 muito acima de todo principado, e autoridade, e poder, e domínio, e de todo nome que se nomeia, não só neste século, mas também no vindouro;


Bom! Tudo é tudo mesmo: no espaço, nas dimensões física e metafísica, no tempo e fora do tempo!


22 e sujeitou todas as coisas debaixo dos seus pés, e para ser cabeça sobre todas as coisas o deu à igreja,


Bom que tudo está debaixo dos pés daquele que não esmaga e que, portanto, não deixa esmagar.


Bom esse jeito de governar: A Trindade governa através do Cristo e o Cristo governa através da Igreja: a comunidade da inclusão, da afeição e do empoderamento do que serve à custas da própria vida!


Bom... O governo do Cristo se dá pelo amor; pelo perdão; pela restauração do ser humano, em todos os seus relacionamentos; pela intercessão e pelo serviço!


Isso é comunidade em ação pelo governo do Cristo!


23 que é o seu corpo, o complemento daquele que cumpre tudo em todas as coisas.


Bom que essa comunidade complementa aquele que está sobre tudo: ele continua a agir a partir do seu esvaziamento, embora esteja pleno de toda a sua glória.


Bom que adoração não é o mero desfilar de elogios, mas o ministrar serviço àqueles a quem o governador, que se sacrificou, quer libertar; às sociedades, às quais, o governador quer resgatar do competição para a solidariedade; às nações, às quais, o governador quer ver desenvolvendo políticas públicas que resgatem o faminto, o sedento, o desabrigado, o segregado, o enfermo e o emprisionado.


Bom que essa comunidade o complementa, não por que nele falte algo, mas, porque a Trindade decidiu governar através dela, de modo que história e os atos humanos, finalmente, ganhem sentido.


Assim é que se ora pela comunidade da fé, e assim deve orar, por fé, a comunidade!
Isso que é comunidade! Essa comunidade prova que a humanidade é amada por Deus!




Capítulo: 2


Mas Deus!


1 Ele vos vivificou, estando vós mortos nos vossos delitos e pecados,


A humanidade se desconectou de Deus: nosso espírito morreu, e nossa vida se tornou um estado de delito e de quebras da lei de Deus. Mas Deus, aos que crêem, ressuscitou o espírito e reconectou consigo.


2 nos quais outrora andastes, segundo o curso deste mundo, segundo o príncipe das potestades do ar, do espírito que agora opera nos filhos de desobediência,


A queda não nos emancipou, ao contrário, criou um ambiente de sofrimento, chamado de “o mundo”, que foi colocado sob influência dum espírito rebelde, que continua a atuar nos que, ainda, não voltaram. Mas Deus, aos que voltaram para o estado de obediência (crer é voltar para o estado de obediência), libertou do domínio e, mesmo, da influência desse rebelde.


3 entre os quais todos nós também antes andávamos nos desejos da nossa carne, fazendo a vontade da carne e dos pensamentos; e éramos por natureza filhos da ira, como também os demais.


Esse estado de coisas era universal. Todo mundo espiritualmente morto e orientado para o mal. Todo mundo provocando a ira divina.


4 Mas Deus, sendo rico em misericórdia, pelo seu muito amor com que nos amou,


Mas Deus tomou uma iniciativa em nosso favor. Em vez de seguir a ira, seguiu o desejo de manter viva a humanidade e o amor que nutria por nós.


5 estando nós ainda mortos em nossos delitos, nos vivificou juntamente com Cristo (pela graça sois salvos),


E Deus fez um favor: pôs os que crêem: os que voltaram para a obediência, dentro do Cristo, quando Cristo foi vivificado, estes o foram com ele. Receberam a mesma vida que ele.


6 e nos ressuscitou juntamente com ele, e com ele nos fez sentar nas regiões celestes em Cristo Jesus,


Os que crêem: os que voltaram a obedecer, foram ressuscitados com Cristo, e, como Cristo se mudou para a dimensão chamada de celeste, os que crêem foram, com ele, para a mesma dimensão.


7 para mostrar nos séculos vindouros a suprema riqueza da sua graça, pela sua bondade para conosco em Cristo Jesus.


Mas Deus fez isso para demonstrar o quanto Ele pode fazer por favor, por causa de sua bondade para com os que crêem: as pessoas que Ele colocou em Cristo Jesus.


8 Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus;


Os que crêem: que voltaram para a obediência, só conseguem crer e, portanto, voltar a querer obedecer, porque Deus lhes fez um favor: Deus lhes deu a capacidade de crer nele e no que Ele fez através do Cristo. É um presente.


9 não vem das obras, para que ninguém se glorie.


Os que crêem: que voltaram a obedecer, não fizeram nada para conquistar essa capacidade de crer. É um presente! Eles não fizeram por merecer. Receberam um presente.


10 Porque somos feitura sua, criados em Cristo Jesus para boas obras, as quais Deus antes preparou para que andássemos nelas.


Os que crêem: que voltaram a obedecer, são assim, porque foram recriados dentro de Cristo, essa recriação é como um poema de Deus. E Deus os colocou num novo ambiente chamado de "boas obras".


Embora eles continuem fisicamente no ambiente de sofrimento, chamado de “o mundo”, eles passaram a viver a partir do novo ambiente, chamado de “boas obras”.


Jesus de Nazaré foi o primeiro a viver no ambiente “mundo”, a partir do ambiente “boas obras”. E Deus recriou os que crêem para viverem assim, também.


11 Portanto, lembrai-vos que outrora vós, gentios na carne, chamados incircuncisão por aqueles que se intitulam circuncisos, na carne, feita pela mão dos homens,


Os circuncisos achavam que essa possibilidade de crer: de voltar a obedecer a Deus, não estava ao alcance dos que não se circundavam, como Deus orientou a Abraão, e ao seu povo, que fizesse.


12 estáveis naquele tempo sem Cristo, separados da comunidade de Israel, e estranhos aos pactos da promessa, não tendo esperança, e sem Deus no mundo.


Isso deixava os incircuncisos sem perspectiva.


13 Mas agora, em Cristo Jesus, vós, que antes estáveis longe, já pelo sangue de Cristo chegastes perto.


Mas Deus colocou no Cristo, sob a unção do Cristo (a palavra Cristo significa ungido - algo como receber uma designação e o poder para executá-la) também, os incircuncisos.


Portanto, a libertação dos incircuncisos foi, também, posta na descrição do alcance da designação do Cristo. Quando o Cristo, derramou o seu sangue na cruz, ele tornou possível aos incircuncisos, o que foi avisado para os circuncisos.


14 Porque ele é a nossa paz, o qual de ambos os povos fez um; e, derrubando a parede de separação que estava no meio, na sua carne desfez a inimizade,


Mas Deus fez mais: pacificou os circuncisos com os incircuncisos, e vice-versa, deixando claro, a ambos, de que precisaram do Cristo para voltar da morte, de modo que, na prática, o que parecia vantagem dos circuncisos sobre os incircuncisos, desapareceu.


15 isto é, a lei dos mandamentos contidos em ordenanças, para criar, em si mesmo, dos dois um novo homem, assim fazendo a paz,


E Deus fez mais: criou, dos dois, um novo homem, ou seja, um homem colectivo, uma nova sociedade; já que o ponto de contato deixou de ser a lei e os mandamentos que os circuncisos conheciam, e passou a ser o Cristo, de quem ambos necessitavam.


16 e pela cruz reconciliar ambos com Deus em um só corpo, tendo por ela matado a inimizade;


E o Cristo, ao cumprir a sua missão, reconciliou os circuncisos e os incircuncisos com Deus, e Deus, no ato do Cristo, os fez uma comunidade só, a quem Ele chamou de: O Corpo do Cristo.


Interessante notar que os circuncisos achavam que eles já estavam reconciliados com Deus, mas, descobriram que, também, dependiam do triunfo do Cristo.


17 e, vindo, ele evangelizou paz a vós que estáveis longe, e paz aos que estavam perto;


Bem... Os circuncisos estavam perto, mas, mesmo assim, precisaram da boa notícia de que era possível estar em paz com Deus.


18 porque por ele ambos temos acesso ao Pai em um mesmo Espírito.


E, graças ao trabalho do Cristo, o Espírito, uma das três pessoas da Trindade, pôde vir habitar nos seres humanos, circuncisos ou incircuncisos, que o favor da Trindade incluiu no Cristo. E é só da habitação do Espirito Santo que é possível ter acesso ao Pai


19 Assim, pois, não sois mais estrangeiros, nem forasteiros, antes sois concidadãos dos santos e membros da família de Deus,


Pronto! Os incircuncisos estão dentro! Não como convidados, mas como membros da família, da comunidade corpo do Cristo, do homem coletivo.


20 edificados sobre o fundamento dos apóstolos e dos profetas, sendo o próprio Cristo Jesus a principal pedra da esquina;


Essa comunidade corpo do Cristo, homem coletivo, é, também, um edifício. Um edifício que tem o Ungido como pedra alicerce, mas é o Ungido, conforme anunciado pelos profetas e descrito e ensinado pelos apóstolos.


21 no qual todo o edifício bem ajustado cresce para templo santo no Senhor,


O objetivo dessa comunidade corpo, desse homem coletivo, desse edifício, é ser uma catedral: um lugar onde Jesus, o Cristo, como Senhor, seja reconhecido como o modelo, o guia e o motivo e o objetivo para todos os movimentos da humanidade.


22 no qual também vós juntamente sois edificados para morada de Deus no Espírito.


Quando esse edifício alcançar a essa altura, quando a interação entre essa sociedade e o Cristo for plena, a Trindade vai morar nesse edifício.




Capítulo 3
1 Por esta causa eu, Paulo, sou o prisioneiro de Jesus Cristo por vós, os gentios;


Paulo está preso por amor à causa de trazer a Trindade para a terra. E para isso é preciso buscar as ovelhas gentílicas que são do aprisco do Cristo.


2 Se é que tendes ouvido a dispensação da graça de Deus, que para convosco me foi dada;


Paulo foi encarregado de buscar os gentios.


3 Como me foi este mistério manifestado pela revelação, como antes um pouco vos escrevi;


Por que ele compreendeu que Deus, por meio de Cristo, decidiu primeiro buscar os gentios e depois resgatar os judeus. O mistério de Deus é Cristo, isto é, que tudo o que Deus fez e fará, será por meio do Cristo.


4 Por isso, quando ledes, podeis perceber a minha compreensão do mistério de Cristo,


Paulo entendeu o movimento do Cristo para reunificar a humanidade. O mistério de Cristo é a Igreja, isto é, que é por meio da Igreja que Cristo retomará a unidade humana.


5 O qual noutros séculos não foi manifestado aos filhos dos homens, como agora tem sido revelado pelo Espírito aos seus santos apóstolos e profetas; 6 A saber, que os gentios são co-herdeiros, e de um mesmo corpo, e participantes da promessa em Cristo pelo evangelho;


Os gentios, também, estavam em Cristo, desde antes da fundação do mundo.


7 Do qual fui feito ministro, pelo dom da graça de Deus, que me foi dado segundo a operação do seu poder. 8 A mim, o mínimo de todos os santos, me foi dada esta graça de anunciar entre os gentios, por meio do evangelho, as riquezas incompreensíveis de Cristo,


Paulo foi incumbido de anunciar que os gentios também podem entrar no Reino e desfrutar de todas as benesses de ser do Reino. Incompreensível para os da velha dispensação.




9 E demonstrar a todos qual seja a dispensação do mistério, que desde os séculos esteve oculto em Deus, que tudo criou por meio de Jesus Cristo;


Por isso o sacrifício do Cristo é anterior a tudo: foi o primeiro ato. E, por isso, tudo foi criado a partir desse sacrifício. O mistério do Cristo é a retomada da unidade humana, a reunificação da humanidade através da Igreja.


10 Para que agora, pela igreja, a multiforme sabedoria de Deus seja conhecida dos principados e potestades nos céus,


É pela Igreja (na demonstração da unidade) que essa sabedoria de Deus é exposta aos seres do mundo espiritual, por meio desta, compreendem os movimentos de Deus: ou como Deus retomou o que havia perdido.


11 Segundo o eterno propósito que fez em Cristo Jesus nosso Senhor, 12 No qual temos ousadia e acesso com confiança, pela nossa fé nele.


Deus, no Cristo, resgatou a humanidade, portanto, podemos entrar na presença de Deus sem medo.


13 Portanto, vos peço que não desfaleçais nas minhas tribulações por vós, que são a vossa glória.


Por essa causa vale a pena passar pelo sofrimento, diz Paulo.


14 Por causa disto me ponho de joelhos perante o Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, 15 Do qual toda a família nos céus e na terra toma o nome,


E Paulo ora ao Pai daquele que, em si, reunificou a família humana, formando a Igreja, a triunfante: os que já se foram, e a militante: os que ainda cá estão.


16 Para que, segundo as riquezas da sua glória, vos conceda que sejais corroborados com poder pelo seu Espírito no homem interior;


Que o Espírito, dentro de nós, dê-nos poder para ser o que devemos.


17 Para que Cristo habite pela fé nos vossos corações; a fim de, estando arraigados e fundados em amor,


Que Cristo, pela fé, seja o norte do coração de cada um de nós, a fim de que, em nossos relacionamentos, partamos do amor fraternal.


18 Poderdes perfeitamente compreender, com todos os santos, qual seja a largura, e o comprimento, e a altura, e a profundidade,


Para podermos compreender, em toda a extensão, esse mistério da reunificação da humanidade. O que só é possível a partir de um relacionamento com os nossos irmãos que, partindo do amor fraternal, busque, prioritariamente, a unidade.


19 E conhecer o amor de Cristo, que excede todo o entendimento, para que sejais cheios de toda a plenitude de Deus.


E possamos conhecer, pela experiência da busca pela unidade com os demais, o amor do Cristo, que o fez andar pelo caminho do esvaziamento. Só assim o amor de Deus aparecerá através de nós.

20 Ora, àquele que é poderoso para fazer tudo muito mais abundantemente além daquilo que pedimos ou pensamos, segundo o poder que em nós opera, 21 A esse glória na igreja, por Jesus Cristo, em todas as gerações, para todo o sempre. Amém.


Glória a Deus, que superou toda a expectativa humana. E nos fez amarmo-nos de novo. E acabou com os clãs e as bandeiras, e voltamos a ser, mais que uma só família, um só homem coletivo.





ESTUDO DE EFÉSIOS!
ROMANOS
terça-feira, 5 de outubro de 2010

CASAMENTO – INSTITUIÇÃO PERDIDA


Até o final do século XIX e início do XX, as pessoas não se casavam por afeto. Um casamento podia acontecer por vários outros motivos, como por razões culturais ou por razões econômicas. Às vezes, o único e principal interesse do casamento era mesmo manter o patrimônio familiar.
Aqui no Brasil, por exemplo, para se preservar a economia de alguns grupos, os casamentos eram arranjados entre famílias ricas. O noivo não sabia quem era a noiva, tampouco a noiva sabia quem era o noivo. Eles mal se conheciam e, em pouco tempo, tinham que se casar. A esposa, sempre submissa ao marido, o chamava de - Senhor, meu marido. A mulher era totalmente dedicada à educação dos filhos e à organização da casa. O marido era o provedor do lar. Assim asseguravam-se o poder econômico das famílias.
Na história da humanidade a ligação casamento e amor é um fato recente. É nesse período de casamento afetivo que apareceram as serenatas, as declarações de amor, as músicas românticas, etc.
Na verdade, o casamento é uma instituição que não se sustentou em nenhum alicerce. Hoje, é uma instituição que está perdida, pois não se apresenta mais como um acontecimento de âmbito social, ou cultural, ou econômico. Agora, vemos se perder, inclusive, o laço afetivo que costumava unir os casais.
Estamos assistindo a uma nova fase se iniciar – a do jurídico. Uma jovem me disse há dias - Vou me casar com ele, se não der certo, eu me separo!
Atualmente, o casamento é tratado como um fato jurídico porque as pessoas já não se unem mais com o intuito de continuar nele, mas, sim, como diria o poeta, que ele seja eterno, enquanto dure

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

CONGRESSO ESTADUAL DE MULHERES EM BIRIGUI

CONGRESSO ESTADUAL DE MULHERES
TEMA: AMAR PARA SERVIR
JEREMIA1:18:19


Jeremias, um jovem tímido e sensível, que foi chamado da sua cidade natal para assumir as pesadas responsabilidades de profeta.
Ele veio da Aldeia de Anatote, a uns cinco km de Jerusalém, isso lhe deu vantagens da cidade santa. Seu pai Hilquias era sacerdote.
Jeremias herdou as tradições de ilustres antepassados.
Os primeiros anos de sua vida foram moldados, sem dúvidas por forte influência religiosa.
O Senhor escolhera esse jovem para profeta, na hora mais difícil do povo escolhido. Para o que parecia uma missão sem esperança.
Deus escolhe o sensível e retraído Jeremias
Ele diz: v:6 Não passo de uma criança Senhor, invoca primeiro sua pouca idade, depois sua inexperiência, e sua falta de eloqüência.
Como razões para não aceitar o chamado.
V:5- Deus diz:
Antes que eu te formasse no ventre, eu te conheci; e antes que saísse da madre, te santifiquei e às nações te dei por profeta.
Jeremias recebe a garantia de que Jeová o havia separado para essa obra antes do nascimento. Efésios 2:10, diz que fomos criados para as boas obras antes que Deus lançasse os fundamentos no mundo.
João 17:5, Glorifica-me senhor, com aquela glória que tínhamos antes da fundação do mundo.
DEUS TEM UM PLANO PARA CADA UM DE NÓS

Jeremias profetizou durante o tempo em que Israel tinha sido levado ao cativeiro e Judá estava em plena decadência.
Jeremias profetizou mais de 40 anos, foi solitário, e a ordem era para não se casar e não ter filhos, e nem filhas.
A mensagem de Jeremias nunca foi popular, ele escreveu um grande rolo,
Baruque foi seu fiel escriba.
RESUMINDO: A VIDA DO PROFETA AFETOU TODAS AS NAÇÕES.
Enfrentou a tarefa com coragem , e sua missão foi de alcance mundial.
Que amor é esse?
Jesus teve comportamento que contrariou a lógica das nossas idéias.
Porque ele morreu em condições desumanas?
Por que, quando estava livre, fez milagres impressionantes, mas quando estava preso não fez nada para aliviar a sua dor?
Por que, os miseráveis eram tratados como príncipes, como reis?
Jesus, o mestre do amor tinha muito a ensinar a cada pessoa.
Mas nunca pressionava ninguém a estar a seus pés ouvindo-o.
Jesus convidava as pessoas a segui-lo, diferente de nós que pressionamos nossos filhos, funcionários, a seguir nossas idéias e nossas preferências.
Jesus construía relações sócias riquíssimas, mesmo em pouco tempo.
As pessoas que conviviam com Jesus o amavam intensamente.
Multidões despertava antes do sol raiar para ouvi-lo.
Que homem é esse que em poucas palavras deixa maravilhados seus ouvintes?
Ex: amar o próximo como a ti mesmo
Era psicólogo, estava falando de amor próprio.
As palavras e os gestos de Jesus são capazes de chocar a sociologia.
No auge de sua fama, ele curvou-se aos pés de simples Galileus e lavou-os. Invertendo os papéis sociais.
“O MAIOR DEVE SER AQUELE QUE SERVE E HONRA OS MENORES

Ele ainda faz gestos que abala os alicerces de física, química, e das ciências políticas.
A educação não passou desapercebida a esse grande mestre, sua psicopedagogia, não apenas é atual, mas revolucionária.
Ele transformou pessoas simples, incultas, ansiosas e intolerantes na mais fina estirpe de pensadores.
Quem é esse homem que foi desconsiderado pela ciência, mas perturbou seus alicerces?
Jesus fez poesia no caos, você consegue fazer poesia quando a dor constrange sua alma?
Ele contava histórias ricas de detalhes em tão poucas palavras,
“observai as aves do céu,
Olhai os lírios dos campos,
Um semeador saiu a semear,
Quem não tem pecado, atire a primeira pedra,
Os sãos não precisam de médico.
Um dos maiores contadores de histórias, com a vantagem de que suas histórias mudavam a rota das pessoas.
“ELE ATRAIA E EDUCAVA SEUS OUVINTES”
“NINGUÉM FOI TÃO GRANDE COMO ELE, E NINGUÉM SOUBE SE FAZER TÃO PEQUENO.
JESUS COMPREENDE AS LIMITAÇÕES HUMANAS,
SOMENTE ALGUÉM QUE CONHECEU AS LIMITAÇÕES HUMANAS EM SUAS RAÍZES ÍNTIMAS PODERIA AMAR INCONDICIONALMENTE
.
Numa sociedade saturada de preconceitos e descriminação.
Somente alguém que penetrou nas entranhas da alma poderia perdoar e dar chances quantas vezes fossem necessárias para alguém começar tudo de novo.
As duas cartas de Pedro refletem um tratado de psicologia social.
Elas destilam sabedoria e contém textura literária, compreensão das dores humanas e dos conflitos existenciais.


AO ANDAR COM ELE OS INSENSÍVEIS SE TORNAVAM POETAS, OS AGRESSIVOS ACALMAVAMAM, OS INCULTOS TORNVA-SE PENSADORES.

DEUS É AMOR
Ele renova as esperanças


LANÇA TEU PÃO SOBRE AS ÁGUAS

ECLESIASTE 11-1

Esta passagem da escritura acentua sua verdade em três verbos:

LANÇAR (11-1)
REPARTIR (11-6)
SEMEAR (11-6)

“Lança teu pão...., reparte com sete, e ainda com oito...., semeia pela manhã a tua semente...”.

O importante é observar que são estímulos a que se invista apesar da crise:

O lançar o pão sobre as águas não trará retorno imediato, (11-1b), “depois de muitos dias o achará”

O repartir com outros não é feito porque está tudo muito bem, mas porque o “mal sobrevirá sobre a terra”
(11-2b).

Semear incessantemente tem como estímulo não a certeza ma a dúvida: “não sabes qual prosperará” (11-6b).

Ora, as razões que a bíblia dá para esse investir em tempo de crise, eles são quatro:

PRIMEIRO:

Todo investimento feito em fé tem retorno.

“Depois de muitos dias o achará”, o pão desaparece, um dia ele volta na forma de um peixe.....

QUEM SABE?
Você não sabe como o achará, mas sabe que de alguma forma o achará.

Exemplo:
Salmo 41:1 “Bem aventurado é aquele que atende ao pobre, o Senhor o livra no dia do mal”.

Provérbios 3:9 e10, Honra ao Senhor com a tua fazenda e com as primícias de toda sua renda, então se encherão os teus celeiros abundantemente, e transbordarão de vinho os teus lagares.

Isaias 59-10, e se abrires a tua alma ao faminto, e fartares a alma aflita, então a luz nascerá nas trevas, e a tua escuridão será como o meio dia.

Provérbios 11-25, A alma generosa prosperará, o que regar também será regado.

Lucas 6-38, Daí, e dar se vos á, Boa medida recalcada, sacudida e transbordante, generosamente vos darão.

2 Coríntios 9-7 cada um contribua segundo propôs no seu coração, não com tristeza ou por necessidade, Pois Deus ama ao que dá com alegria.

SEGUNDO:

O mal é uma certeza da vida, mas o bem é uma possibilidade criada pelos corações generosos.

“Não sabes que mal sobrevirá” (11-2b) porque o mal na vida é como os fenômenos naturais. O que é, é.

Estando às nuvens cheias derramam aguaceiros sobre a terra, caindo arvore para o sul ou para o norte, no lugar em que cair ficará. (11-3)

Em outras palavras, “Faça o bem porque o mal já é natural” nesse mundo caído.

Além disso, ele trás consigo o germe da fatalidade.

NOSSA RESPONSABILIDADE É CRIAR O BEM. “O MAL JÁ EXISTE”.

TERCEIRO:

Todo investimento tem que ser feito em fé, porque a vida sempre pinta cenários que desaconselha investimentos.

“Quem somente observa o vento nunca semeará, e o que olha para ás nuvens nunca segará” (11:4)

Assim é o que estimula investir mesmo que o cenário em volta seja o prelúdio
de tempestade.

Já se ouve o trovão;
Já se vê o relâmpago no véu escuro do céu;
Já se sente o vento como cheiro de chuva;
Mas mesmo assim semeia a semente.

Quem sabe? Pode ser que não chova, ou pode ser que as sementes peguem apesar do aguaceiro,
Enfim, não se sabe.

Assim como não sabes o caminho do vento, como se formam os ossos no ventre da mulher grávida, assim tu não sabes as obras de Deus. (11-5) que faz todas as coisas.

QUARTO:

Todo significado para a vida vem do ato de se investir na vida e naquilo que nela produz alegria maior que a dor.

“Ainda que o homem viva muitos anos, regozige-se em todos eles, contudo deve lembrar-se de que há dias de trevas, porque serão muitos”(11-8).

Ora essa é a única maneira de se fazer com que tudo quando suceda a vida humana não seja mera vaidade, pois o resto tudo é vaidade.

Apesar dos trovões, relâmpagos e ventos, não podemos esperar as coisas melhorar para fazermos a obra de Deus.

Vamos faze-la pela fé apesar de tudo e de todos.

Só colheremos se plantarmos;
Só colheremos o que plantamos;
Colhemos mais do que plantamos;
Colhemos onde plantamos;
Colhemos no tempo de Deus;
E no tempo de colher.

Lança o teu pão sobre ás águas, o resultado vem através de Deus.
DEUS É ÁS ÁGUAS.


























CONGRESSO ESTADUAL DE MULHERES EM BIRIGUI

CONGRESSO ESTADUAL DE MULHERES
TEMA: AMAR PARA SERVIR
JEREMIA1:18:19


Jeremias, um jovem tímido e sensível, que foi chamado da sua cidade natal para assumir as pesadas responsabilidades de profeta.
Ele veio da Aldeia de Anatote, a uns cinco km de Jerusalém, isso lhe deu vantagens da cidade santa. Seu pai Hilquias era sacerdote.
Jeremias herdou as tradições de ilustres antepassados.
Os primeiros anos de sua vida foram moldados, sem dúvidas por forte influência religiosa.
O Senhor escolhera esse jovem para profeta, na hora mais difícil do povo escolhido. Para o que parecia uma missão sem esperança.
Deus escolhe o sensível e retraído Jeremias
Ele diz: v:6 Não passo de uma criança Senhor, invoca primeiro sua pouca idade, depois sua inexperiência, e sua falta de eloqüência.
Como razões para não aceitar o chamado.
V:5- Deus diz:
Antes que eu te formasse no ventre, eu te conheci; e antes que saísse da madre, te santifiquei e às nações te dei por profeta.
Jeremias recebe a garantia de que Jeová o havia separado para essa obra antes do nascimento. Efésios 2:10, diz que fomos criados para as boas obras antes que Deus lançasse os fundamentos no mundo.
João 17:5, Glorifica-me senhor, com aquela glória que tínhamos antes da fundação do mundo.
DEUS TEM UM PLANO PARA CADA UM DE NÓS
Jeremias profetizou durante o tempo em que Israel tinha sido levado ao cativeiro e Judá estava em plena decadência.
Jeremias profetizou mais de 40 anos, foi solitário, e a ordem era para não se casar e não ter filhos, e nem filhas.
A mensagem de Jeremias nunca foi popular, ele escreveu um grande rolo,
Baruque foi seu fiel escriba.
RESUMINDO: A VIDA DO PROFETA AFETOU TODAS AS NAÇÕES.
Enfrentou a tarefa com coragem , e sua missão foi de alcance mundial.
Que amor é esse?
Jesus teve comportamento que contrariou a lógica das nossas idéias.
Porque ele morreu em condições desumanas?
Por que, quando estava livre, fez milagres impressionantes, mas quando estava preso não fez nada para aliviar a sua dor?
Por que, os miseráveis eram tratados como príncipes, como reis?
Jesus, o mestre do amor tinha muito a ensinar a cada pessoa.
Mas nunca pressionava ninguém a estar a seus pés ouvindo-o.
Jesus convidava as pessoas a segui-lo, diferente de nós que pressionamos nossos filhos, funcionários, a seguir nossas idéias e nossas preferências.
Jesus construía relações sócias riquíssimas, mesmo em pouco tempo.
As pessoas que conviviam com Jesus o amavam intensamente.
Multidões despertava antes do sol raiar para ouvi-lo.
Que homem é esse que em poucas palavras deixa maravilhados seus ouvintes?
Ex: amar o próximo como a ti mesmo
Era psicólogo, estava falando de amor próprio.
As palavras e os gestos de Jesus são capazes de chocar a sociologia.
No auge de sua fama, ele curvou-se aos pés de simples Galileus e lavou-os. Invertendo os papéis sociais.
“O MAIOR DEVE SER AQUELE QUE SERVE E HONRA OS MENORES”
Ele ainda faz gestos que abala os alicerces de física, química, e das ciências políticas.
A educação não passou desapercebida a esse grande mestre, sua psicopedagogia, não apenas é atual, mas revolucionária.
Ele transformou pessoas simples, incultas, ansiosas e intolerantes na mais fina estirpe de pensadores.
Quem é esse homem que foi desconsiderado pela ciência, mas perturbou seus alicerces?
Jesus fez poesia no caos, você consegue fazer poesia quando a dor constrange sua alma?
Ele contava histórias ricas de detalhes em tão poucas palavras,
“observai as aves do céu,
Olhai os lírios dos campos,
Um semeador saiu a semear,
Quem não tem pecado, atire a primeira pedra,
Os sãos não precisam de médico.
Um dos maiores contadores de histórias, com a vantagem de que suas histórias mudavam a rota das pessoas.
“ELE ATRAIA E EDUCAVA SEUS OUVINTES”
NINGUÉM FOI TÃO GRANDE COMO ELE, E NINGUÉM SOUBE SE FAZER TÃO PEQUENO.
JESUS COMPREENDE AS LIMITAÇÕES HUMANAS,
SOMENTE ALGUÉM QUE CONHECEU AS LIMITAÇÕES HUMANAS EM SUAS RAÍZES ÍNTIMAS PODERIA AMAR INCONDICIONALMENTE
.
Numa sociedade saturada de preconceitos e descriminação.
Somente alguém que penetrou nas entranhas da alma poderia perdoar e dar chances quantas vezes fossem necessárias para alguém começar tudo de novo.
As duas cartas de Pedro refletem um tratado de psicologia social.
Elas destilam sabedoria e contém textura literária, compreensão das dores humanas e dos conflitos existenciais.

AO ANDAR COM ELE OS INSENSÍVEIS SE TORNAVAM POETAS, OS AGRESSIVOS ACALMAVAM, OS INCULTOS SE TORNAVAM PENSADORES.

DEUS É AMOR
Ele renova as esperanças


LANÇA TEU PÃO SOBRE AS ÁGUAS

ECLESIASTE 11-1

Esta passagem da escritura acentua sua verdade em três verbos:

LANÇAR (11-1)
REPARTIR (11-6)
SEMEAR (11-6)

“Lança teu pão...., reparte com sete, e ainda com oito...., semeia pela manhã a tua semente...”.

O importante é observar que são estímulos a que se invista apesar da crise:

O lançar o pão sobre as águas não trará retorno imediato, (11-1b), “depois de muitos dias o achará”

O repartir com outros não é feito porque está tudo muito bem, mas porque o “mal sobrevirá sobre a terra”
(11-2b).

Semear incessantemente tem como estímulo não a certeza ma a dúvida: “não sabes qual prosperará” (11-6b).

Ora, as razões que a bíblia dá para esse investir em tempo de crise, eles são quatro:

PRIMEIRO:

Todo investimento feito em fé tem retorno.

“Depois de muitos dias o achará”, o pão desaparece, um dia ele volta na forma de um peixe.....

QUEM SABE?
Você não sabe como o achará, mas sabe que de alguma forma o achará.

Exemplo:
Salmo 41:1 “Bem aventurado é aquele que atende ao pobre, o Senhor o livra no dia do mal”.

Provérbios 3:9 e10, Honra ao Senhor com a tua fazenda e com as primícias de toda sua renda, então se encherão os teus celeiros abundantemente, e transbordarão de vinho os teus lagares.

Isaias 59-10, e se abrires a tua alma ao faminto, e fartares a alma aflita, então a luz nascerá nas trevas, e a tua escuridão será como o meio dia.

Provérbios 11-25, A alma generosa prosperará, o que regar também será regado.

Lucas 6-38, Daí, e dar se vos á, Boa medida recalcada, sacudida e transbordante, generosamente vos darão.

2 Coríntios 9-7 cada um contribua segundo propôs no seu coração, não com tristeza ou por necessidade, Pois Deus ama ao que dá com alegria.

SEGUNDO:

O mal é uma certeza da vida, mas o bem é uma possibilidade criada pelos corações generosos.

“Não sabes que mal sobrevirá” (11-2b) porque o mal na vida é como os fenômenos naturais. O que é, é.

Estando às nuvens cheias derramam aguaceiros sobre a terra, caindo arvore para o sul ou para o norte, no lugar em que cair ficará. (11-3)

Em outras palavras, “Faça o bem porque o mal já é natural” nesse mundo caído.

Além disso, ele trás consigo o germe da fatalidade.

NOSSA RESPONSABILIDADE É CRIAR O BEM. “O MAL JÁ EXISTE”.

TERCEIRO:

Todo investimento tem que ser feito em fé, porque a vida sempre pinta cenários que desaconselha investimentos.

“Quem somente observa o vento nunca semeará, e o que olha para ás nuvens nunca segará” (11:4)

Assim é o que estimula investir mesmo que o cenário em volta seja o prelúdio
de tempestade.

Já se ouve o trovão;
Já se vê o relâmpago no véu escuro do céu;
Já se sente o vento como cheiro de chuva;
Mas mesmo assim semeia a semente.

Quem sabe? Pode ser que não chova, ou pode ser que as sementes peguem apesar do aguaceiro,
Enfim, não se sabe.

Assim como não sabes o caminho do vento, como se formam os ossos no ventre da mulher grávida, assim tu não sabes as obras de Deus. (11-5) que faz todas as coisas.

QUARTO:

Todo significado para a vida vem do ato de se investir na vida e naquilo que nela produz alegria maior que a dor.

“Ainda que o homem viva muitos anos, regozige-se em todos eles, contudo deve lembrar-se de que há dias de trevas, porque serão muitos”(11-8).

Ora essa é a única maneira de se fazer com que tudo quando suceda a vida humana não seja mera vaidade, pois o resto tudo é vaidade.

Apesar dos trovões, relâmpagos e ventos, não podemos esperar as coisas melhorar para fazermos a obra de Deus.

Vamos faze-la pela fé apesar de tudo e de todos.

Só colheremos se plantarmos;
Só colheremos o que plantamos;
Colhemos mais do que plantamos;
Colhemos onde plantamos;
Colhemos no tempo de Deus;
E no tempo de colher.

Lança o teu pão sobre ás águas, o resultado vem através de Deus.
DEUS É ÁS ÁGUAS.













LANÇA TEU PÃO SOBRE AS ÁGUAS

LANÇA TEU PÃO SOBRE AS ÁGUAS

ECLESIASTE 11-1

Esta passagem da escritura acentua sua verdade em três verbos:

LANÇAR (11-1)
REPARTIR (11-6)
SEMEAR (11-6)

“Lança teu pão...., reparte com sete, e ainda com oito...., semeia pela manhã a tua semente...”.

O importante é observar que são estímulos a que se invista apesar da crise:

O lançar o pão sobre as águas não trará retorno imediato, (11-1b), “depois de muitos dias o achará”

O repartir com outros não é feito porque está tudo muito bem, mas porque o “mal sobrevirá sobre a terra”
(11-2b).

Semear incessantemente tem como estímulo não a certeza ma a dúvida: “não sabes qual prosperará” (11-6b).

Ora, as razões que a bíblia dá para esse investir em tempo de crise, eles são quatro:

PRIMEIRO:

Todo investimento feito em fé tem retorno.

“Depois de muitos dias o achará”, o pão desaparece, um dia ele volta na forma de um peixe.....

QUEM SABE?
Você não sabe como o achará, mas sabe que de alguma forma o achará.

Exemplo:
Salmo 41:1 “Bem aventurado é aquele que atende ao pobre, o Senhor o livra no dia do mal”.

Provérbios 3:9 e10, Honra ao Senhor com a tua fazenda e com as primícias de toda sua renda, então se encherão os teus celeiros abundantemente, e transbordarão de vinho os teus lagares.

Isaias 59-10, e se abrires a tua alma ao faminto, e fartares a alma aflita, então a luz nascerá nas trevas, e a tua escuridão será como o meio dia.

Provérbios 11-25, A alma generosa prosperará, o que regar também será regado.

Lucas 6-38, Daí, e dar se vos á, Boa medida recalcada, sacudida e transbordante, generosamente vos darão.

2 Coríntios 9-7 cada um contribua segundo propôs no seu coração, não com tristeza ou por necessidade, Pois Deus ama ao que dá com alegria.

SEGUNDO:

O mal é uma certeza da vida, mas o bem é uma possibilidade criada pelos corações generosos.

“Não sabes que mal sobrevirá” (11-2b) porque o mal na vida é como os fenômenos naturais. O que é, é.

Estando às nuvens cheias derramam aguaceiros sobre a terra, caindo arvore para o sul ou para o norte, no lugar em que cair ficará. (11-3)

Em outras palavras, “Faça o bem porque o mal já é natural” nesse mundo caído.

Além disso, ele trás consigo o germe da fatalidade.

NOSSA RESPONSABILIDADE É CRIAR O BEM. “O MAL JÁ EXISTE”.

TERCEIRO:

Todo investimento tem que ser feito em fé, porque a vida sempre pinta cenários que desaconselha investimentos.

“Quem somente observa o vento nunca semeará, e o que olha para ás nuvens nunca segará” (11:4)

Assim é o que estimula investir mesmo que o cenário em volta seja o prelúdio
de tempestade.

Já se ouve o trovão;
Já se vê o relâmpago no véu escuro do céu;
Já se sente o vento como cheiro de chuva;
Mas mesmo assim semeia a semente.

Quem sabe? Pode ser que não chova, ou pode ser que as sementes peguem apesar do aguaceiro,
Enfim, não se sabe.

Assim como não sabes o caminho do vento, como se formam os ossos no ventre da mulher grávida, assim tu não sabes as obras de Deus. (11-5) que faz todas as coisas.

QUARTO:

Todo significado para a vida vem do ato de se investir na vida e naquilo que nela produz alegria maior que a dor.

“Ainda que o homem viva muitos anos, regozige-se em todos eles, contudo deve lembrar-se de que há dias de trevas, porque serão muitos”(11-8).

Ora essa é a única maneira de se fazer com que tudo quando suceda a vida humana não seja mera vaidade, pois o resto tudo é vaidade.

Apesar dos trovões, relâmpagos e ventos, não podemos esperar as coisas melhorar para fazermos a obra de Deus.

Vamos faze-la pela fé apesar de tudo e de todos.

Só colheremos se plantarmos;
Só colheremos o que plantamos;
Colhemos mais do que plantamos;
Colhemos onde plantamos;
Colhemos no tempo de Deus;
E no tempo de colher.

Lança o teu pão sobre ás águas, o resultado vem através de Deus.
DEUS É ÁS ÁGUAS.
























sexta-feira, 3 de setembro de 2010


CHA DA MULHERES EM VOTUPORANGA, LINDO TRABALHO
IVONE E PR EDVALTER, MINISTRAÇÃO DE MANHÃ, SOBRE RECUPERANDO VALORES PERDIDOS DENTRO DE NÓS

MINISTRAÇÃO NO CULTO EM VOTUPORANGA, FOI BENÇÃO.

PRIMEIRA IGREJA BATISTA EM VOTUPORANGA, LINDA E ESTÁ EM REFORMA

PRIMEIRA IGREJA BATISTA EM VOTUPORANGA, PALESTRAS SOBRE RECUPERANDO VALORES PERDIDOS DENTRO DE NÓS.


CHÁ DE MULHERES EM VOTUPORANGA, FOI LINDO, DIA 28 AGOSTO DE 2010
obrigada amigos pela linda festa surpreza, foi incrível.......

sexta-feira, 13 de agosto de 2010



socorro amigos, essa garota tem apenas 11 anos, e precisa urgente de tratamento, isso não para de crescer, ela tem escoleose aguda, e aqui ninguém conseguiu resolver o problema dela, pedi ajuda hoje para Ana Maria Braga, intercedam por ela junto a qualquer programa de televisão, preciso de ajuda de sua influência, entre nossa causa comigo, quem puder, obrigada

sábado, 31 de julho de 2010

UMA OVELHA FALA DA VIDA NO REBANHO

domingo, 18 de julho de 2010
Uma ovelha fala da vida no rebanho
O nosso dono é o meu pastor, ele não terceirizou o nosso apascentamento, ele mesmo cuida de tudo e eu não preciso de mais nada.

O movimento de nosso pastor é me levar a descansar.
Ele nos coloca num pasto estourando de verde, e eu como daquela abundância! Mas, miraculosamente, contrário ao que me seria natural, ao invés de comer, vorazmente, até consumir a própria raiz da relva toda, eu como a me saciar e deito-me em completo descanso.
Nosso pastor me faz compreender que não preciso me desesperar, sempre haverá alimento para nós.


Aí, ele nos leva para tomar água, e como eu sou estabanada, e qualquer movimento me leva a perder o equilíbrio, ele me leva a um lugar especial:
não é água parada, então, não corro o risco de contrair nenhuma enfermidade; e, também, não são águas corredeiras, então, não corro o risco de ser arrastada pela correnteza; são águas tranqüilas, e, nesse estado de descanso, me dessedento tranquilamente, sabendo que não serei atacada enquanto me inclino para beber, porque o nosso pastor cuida de mim.


Eu vou com o nosso pastor por qualquer caminho. Eu me deixo conduzir! Não saio do estado de descanso, porque o nosso pastor escolhe sempre o melhor caminho...
É uma questão de honra para ele!

Mesmo quando eu não consigo ver um palmo a frente do nariz, quando o caminho está coberto por uma sombra que parece cobrir qualquer luz, e percebo que a própria morte me espreita, e que é um caminho estreito, escorregadio, perigoso, que basta resvalar uma das patas para precipitar-me desfiladeiro abaixo...
Eu não tenho medo!
O nosso pastor está comigo e me protege: ele tem como, eficazmente, me puxar, se eu ameaçar cair; e eu sei que ele, pronta e precisamente, tocará na pata que estiver a ponto de escorregar e terei como endireitar o meu passo.
Isso me consola em meio a essa escuridão, e permaneço em estado de descanso.


E quando lobos, leões, ladrões e mercenários se aproximam... Prontos para o ataque! O nosso pastor, ao invés de sair afugentando-os, prepara um banquete para mim, e continuo a desfrutar do descanso, da paz e de alegria, como de um copo a transbordar! Fica claro, para mim, que os meus inimigos não têm como me alcançar.
O nosso pastor é uma barreira intransponível!


Eu quero ficar para sempre nesse rebanho! Aqui eu desfruto da bondade e da misericórdia do nosso dono e pastor. E o nosso pastor me garante que ficarei sempre aqui, com ele, desfrutando desse descanso promovido por sua bondade e misericórdia.
Ele nunca vai embora...
Ele mora conosco... Melhor! Ele mora em nós e nós nele!
Nós somos a casa dele, e ele a casa da gente!


P.S. Talvez você me pergunte: Como é isso?
Você fala de ser pastoreado por um pastor único e incomparável, e fala na primeira pessoa do singular, quando sabemos que um pastor apascenta rebanho e não, individualmente, a cada ovelha.
Eu respondo: certa vez uma ovelha doutro rebanho qualquer, a observar como o nosso rebanho se movia em bloco, aproximou-se e me questionou sobre como a gente o conseguia.
Eu lhe disse que era por causa de nosso pastor, nós o ouvíamos e o obedecíamos. Ela retrucou:
Mas eu não consigo ver o seu pastor! E eu expliquei: é que o nosso pastor mora em nós!
Nós estamos em rebanho, e o sabemos, mas, como ele mora em nós, embora ele fale a todas, cada uma de nós o ouve como se ele estivesse falando a cada uma de nós, de modo exclusivo.
E sabe de uma coisa? Ele o está! De jeito inclusivo ele está falando de forma exclusiva a cada uma de nós.
O nosso pastor é assim: nos mantém em unidade enquanto sustenta, em cada uma de nós, a particular identidade!
Postado por Ari às 07:15 15 comentários Links para esta postagem

GENTE FELIZ

terça-feira, 27 de julho de 2010Gente Feliz
Feliz é quem não segue os conselhos dos perversos: essa gente que sonega o direito; persegue o inocente; e, para quem, os fins justificam os meios.

Feliz é quem não relativiza o amar a Deus, acima de tudo, e o amar ao próximo, como a gente gosta de ser amado, como guia para toda a ação.

Feliz é quem sabe que toda a vida é sagrada, e a preserva.

Feliz é quem vive e anda com os justificados: promovendo o direito e preservando toda a vida.

Feliz é o que está plantado na comunidade dos declarados justos: onde esse amor é o modo de viver, e a vida, então, flui como um rio, que o faz crescer como uma árvore sempre verdejante.

Feliz é o que dá tempo ao tempo, e, no tempo certo, faz o que tem de fazer.

Feliz é o que sabe que o prazer não é um lugar, mas uma construção.

Feliz é o que medita em como ser gente como gente deve ser: que medita em como viver a partir do amar a Deus acima de tudo, e do amar ao próximo como a gente gosta de ser amado.

Feliz é quem anda nesse caminho onde a maldade não tem lugar: porque esse é o caminho de Deus!
Postado por Ari às 13:42
Igreja
Igreja é um lugar onde o Pai se sente em casa,


Onde é adorado pelo que é e não pelo que pode,


Onde é obedecido de coração e não por constrangimento,


Onde o seu reino é manifesto no amor, na solidariedade, na fraternidade e serviço ao outro,


Onde o ser humano se perceba em casa e seja a casa de Deus e do outro,


Onde Jesus Cristo é o modelo, o desejo e o caminho,


Onde a graça é o ambiente, o perdão a base do relacionamento e o amor a sua cimentação.


Onde o Espírito Santo está alegre pela liberdade que desfruta para gerar e expressar a Cristo,


Onde Ele vê os seus dons serem usados para edificar, provocar alegria e servir ao próximo,


Onde todos andam abraçados,


Onde a dor de um é a dor de todos,


Onde ninguém está só,


Onde todos têm acesso ao perdão, à cura de suas emoções, à amizade e a ser cada vez mais parecido com Cristo,


Onde os pastores são apenas ovelhas-exemplo e não dominadores dos que lhes foram confiados,


Onde os pastores são vistos como ovelhas-líder e não como funcionários a serem explorados.


Onde não há gente nadando na riqueza enquanto outros chafurdam na miséria,


Onde há equilíbrio, de modo que quem colheu demais não esteja acumulando e quem colheu de menos não esteja passando necessidades.


Enfim, a comunidade do reino de Deus,


Onde aparece a humanidade que a Trindade sonhou,


Onde a cidade encontra paradigmas.


Onde o livro texto é a Bíblia.
Postado por Ari às 11:54

sábado, 10 de julho de 2010

DOE E ALEGRIA DE SER MULHER

Dor e alegria de ser mulher

A batalha feminina pela verdadeira felicidade e pelo reconhecimento social ainda está longe de terminar
Em primeiro lugar, gostaria de desejar muitas felicidades a todas as leitoras da Revista Já, nesta data especial, o Dia Internacional da Mulher. A luta feminina pela felicidade ainda está longe do seu final. A mulher acaba tendo múltiplos papéis sobrecarregados e cobranças sociais e familiares, com conflitos envolvendo a educação dos filhos e a colaboração ativa como profissional. Seu trabalho ainda é desqualificado, apesar das evoluções recentes.
Vivemos em uma sociedade compressora e massacrante, altamente geradora de estresse. A mídia cria estereótipos incongruentes e reducionistas. Há os temores do envelhecimento, da perda da libido e da beleza, do risco de envolvimento dos filhos em drogas e violência, do fim dos casamentos, da falta de sentimento e respeito por parte dos companheiros e das amizades frívolas. Casamentos e relacionamentos acabam sendo desfeitos, sem chances concretas de uma transformação construtiva e criativa. Viver diferenças exige generosidade e amadurecimento para que se possam edificar canais de comunicação.
A ação contra certos estereótipos envolve a capacidade de entrega, assumindo suas fragilidades. Por que não pedir uma ajuda ou “colo” quando se sente fragilizada? Por que evitar comportamentos com medo de exposição e críticas? Muitas mulheres sofrem por aceitar essas regras. A evolução deve ser bilateral, incluindo um processo de amadurecimento psicológico dos homens envolvidos.
O envelhecer deve ser encarado como uma dádiva. Rugas e alguma obesidade, independente dos inúmeros e dispendiosos tratamentos estéticos, chegarão cedo ou tarde. A velhice é inexorável à nossa espécie, de acordo com a vulnerabilidade genética e estilo de vida de cada um. Por que alguns homens ainda teimam em menosprezar suas parceiras, humilhando-as, ao exigirem, até ironicamente, um corpo e uma pele de menina aos 50 anos de idade? Em que nível fica a cumplicidade de um convívio íntimo estabelecido ao longo de décadas?
No meu consultório, muitas mulheres na menopausa sentem-se tristes, isoladas e desprezadas por seus companheiros e até filhos. Renegam-lhes o direito de transmitir seus conhecimentos e sentimentos mais profundos e nobres. Termos pejorativos são empregados, desrespeitosamente, tudo fruto de uma sociedade que cultiva o corpo, o dinheiro, o consumismo desvairado e uma imagem caricaturada de adolescente. A afetividade, a espiritualidade e a verdadeira sensualidade tornam-se secundárias.
Portanto, queridas leitoras: um mundo interno reestruturado e fortalecido substitui, com vantagem, eventuais declínios fisiológicos. Cuidem de todos os aspectos da saúde, mas não se enquadrem em neuroses da modernidade, como a eterna juventude, construídas em pilares humanos frágeis que só geram angústias e perdas. Entreguem-se a um sentimento amplo de amor e paixão pelos seus semelhantes e pelas suas respectivas vidas, aproveitando, em doses homeopáticas, a mágica dos períodos de transição e envelhecimento. Se precisarem, não hesitem em procurar uma ajuda na saúde mental.
Prof. Dr. Joel Rennó Júnior Doutor em Psiquiatria pela Faculdade de Medicina da USP. Coordenador do Pró-Mulher-Projeto de Atenção à Saúde Mental da Mulher-Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da FMUSP